Quando a tecnologia atrapalha

 

Como post de estreia, resolvi escrever sobre algo que me incomoda muito em alguns carros modernos. Por ser um “consultor informal” sobre automóveis para muitos amigos e colegas de trabalho, tenho a sorte de dirigir muitos carros diferentes, o que me permite ter uma boa visão do cenário automobilístico no Brasil.

Nos carros atuais, a multiplexagem ajuda o motorista a ter mais conforto e segurança; porém, nem sempre a tecnologia agrada . Quando quero andar realmente forte, não gosto de ter um “homenzinho verde” influenciado nos meus comandos. O acelerador eletrônico, por exemplo, nem sempre responde da forma adequada, o processador muitas vezes não entende o que leva o motorista a acelerar tudo no meio de uma curva quando os sensores do controle de tração acusam que uma roda, ou mais, está perdendo tração e, por conta própria, simplesmente não aceleram, o que AUMENTA a derrapagem.

Antes que alguém fique espantado e me ache louco, devo explicar como o controle de tração atua. Quando uma roda perde tração, o motor diminui a potencia enviada às rodas até que a tração volte, acontece que quando você faz uma curva realmente forte, o controle não é suficiente para evitar a derrapagem e o carro não só derrapa, como o faz de forma muito abrupta. Um motorista/piloto, em uma sequência de curvas, usa a derrapagem como forma de posicionar o carro para a próxima curva, e é nessa hora que ele é realmente atrapalhado pela eletrônica; ou seja, para quem realmente gosta, e sabe, dirigir rápido, a tecnologia atrapalha.

O post inicial ficou meio longo, eu sei mas realmente é triste ver o número de carros que, em nome da segurança, melhoram para o motorista médio e se distanciam daqueles que ainda veem o automóvel como ele era visto pelas pessoas quando surgiu, uma fonte inesgotável de liberdade e prazer.

6 Responses to Quando a tecnologia atrapalha

  1. Silvia disse:

    Como eu, apesar de gostar de dirigir, não corro muito e nem quero experimentar novas sensações, acabo ficando irritada mesmo é quando tiro o cinto para manobrar quando chego em casa e fica aquele barulhinho Pi, pi, pi… Essa parte da tecnologia é bem chatinha…

  2. Adorei o texto! pena que eu nao tenho a menor ideia do que significa multiplexagem, e menos ainda sei como funciona a tração. rsrsrs Mas com uma coisa eu concordo: tenho que admitir que gosto de andar rápido, embora o meu “rápido” deva ser devagar se comparado a vc!!!!! rsrsrs

    • Paulo Sérgio disse:

      Multiplexagem é, a grosso modo, uma rede que interliga diversos elementos em um carro. Por exemplo, se você está andando na chuva com o limpador ligado e, ao engatar a ré, o limpador traseiro liga sozinho, é graças à multiplexagem. Quanto ao andar rápido, 150 km/h em uma boa estrada pode ser mais tranquilo que andar a 60 km/h no trajeto Horto/ São Conrado na chuva, depende do referencial.

  3. Ozanir Roberti Martins disse:

    Velocidade é boa numa pista adequada, mas com motoristas competentes, espécimens raros no mundo normal, principlamente no Brasil, país em que os usuários de automóvel pensam ser Fittipaldis, Piquets, Sennas, Rubinhos e Massas. Os de ônibus e vans, então, são péssimos e exigem que nós sejamos mais cuidadosos ainda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *