Arquivos do Autor: Sílvia Martins

Rocambole de leite condensado prático e delicioso!!!!!!!

Se tem uma coisa que eu e meu marido amamos é leite condensado!!!!! De todas as formas: mexido na panela, com morangos, em forma de brigadeiro e até puro!!!!

Então, quando vimos essa receita na televisão, não teve jeito: tivemos que fazer!  A receita é fácil, mas deu errado da primeira vez que tentamos…  apesar de termos seguido as instruções exatas, foi tempo demais no forno e não tinha recheio suficiente! Aí fomos aprimorando aqui, melhorando ali e chegamos à receita ideal! Ficou perfeito!!!!! Tão perfeito que fizemos 3 vezes em 2 semanas!!!!!

Tá bom… sei que isso não é legal, que é um exagero, bla, bla, bla…mas provem! Provem e depois julguem!!!!

Ingredientes:

  • 3 claras
  • 3 gemas
  • 3 colheres de sopa de açúcar
  • 2 colheres de sopa de farinha de trigo
  • 1 colher de sopa de chocolate em pó (pode ser chocolate ou cacau – fica com dos dois jeitos!)
  • ½ colher de sopa de fermento em pó
  • 1 lata e meia de leite condensado

Modo de Fazer:

Bata em uma batedeira 3 claras em neve. (mais ou menos até dobrar ou triplicar de tamanho!) Com a batedeira ligada, adicione 3 gemas e as 3 colheres de sopa de açúcar e bata por mais ou menos 1 minuto. Vai ficar uma mistura fofa em um amarelinho claro.

Desligue a batedeira e acrescente peneirando as 2 colheres de sopa de farinha de trigo, a colher de sopa de chocolate em pó e o fermento em pó. Vai misturando com uma colher de pau, bem delicadamente. Não faz nada ainda com a massa. Deixa ela reservada.

Em uma assadeira retangular (eu usei de 35 cm x 20 cm) untada com bastante manteiga (tem que ser bem untada mesmo!!!), despeje o leite condensado (1 lata e meia!), forrando o fundo da assadeira e espalhando bem. É estranho, mas é isso mesmo. É só untar e colocar o leite condensado puro.

Sobre este leite condensado, coloque a massa que você bateu, tentando cobrir todo o leite condensado. Leve ao forno pré-aquecido a 180°C por 25 minutos. Não deixe mais que isso, senão o leite condensado queima… Depois dos 25 minutos, retire do forno e desenforme sobre um pano polvilhado com açúcar. Enrole ainda quente e sirva em seguida.

Inovar ou não inovar no currículo: eis a questão!

Vejo no jornal a notícia de que um candidato a emprego nos Estados Unidos enviou seu currículo em um formato de barra de chocolate (résumé bar em inglês significa, em uma tradução livre, barra de currículo).

A ideia dele foi realmente genial! Ele criou um slogan falando que satisfaria o apetite de qualquer empresa, e aproveitou o lugar das informações nutricionais para valorizar as características que ele crê que apresenta:  Criatividade, 100%; Ética no trabalho, 110%; Liderança, 100%!

CV chocolate

Mas o candidato também deixou bem claro, em letras grandes, que se tratava de um Profissional Experiente de Marketing. E é aí mesmo que está toda a graça da história! A principal razão de um currículo tão criativo ter gerado a contratação para a vaga é porque ele é justamente para o Marketing, uma área em que a capacidade de inovar, de surpreender e de pensar “fora da caixa” faz toda a diferença!

Imagine um currículo desses feito por um candidato a contador. Por favor, não é nenhuma perseguição a contadores, muito pelo contrário, mas vamos pensar juntos. Quais são as competências essenciais de um contador? Normalmente são a organização, a atenção a detalhes, a credibilidade, o fato de saber seguir as regras… e aí de repente ele manda um “résumé bar”…  muito provavelmente esse candidato vai ser excluído do processo justamente pelas mesmas razões que pesaram na contratação do nosso amigo de Marketing… ele é uma pessoa que surpreende e pensa fora da caixa, justamente o que uma empresa não quer de alguém que tem que reportar números seguindo procedimentos rígidos.

A verdade é que algumas vagas realmente permitem uma inovação no currículo. Imagina um candidato a jornalista de TV que manda junto de seu currículo um vídeo com uma matéria feita por ele? É algo que pode ajudar a se diferenciar dos outros. Um ilustrador, por exemplo, pode muito bem enviar um currículo em formato de fotolivro mostrando seus trabalhos anteriores e vai chamar muito mais a atenção do que o outro candidato que mandou só um currículo…  Mas a gente tem que lembrar que muitas profissões tradicionais acabam pedindo currículos mais tradicionais também…

O mesmo também acontece com empresas tradicionais.  Precisamos sempre levar em conta o perfil da empresa na hora de inovar no currículo, até porque isso determina a forma que o recrutador vai olhar pra ele… Com certeza, o departamento de RH de uma empresa centenária e formal será atingido de uma forma completamente diferente de uma outra em que o ambiente tem sala de jogos e pessoas trabalhando de bermuda.

Inovar no currículo não é só criar alguma coisa mirabolante… É também personalizar, fazer com que ele fique atraente para a posição que nós estamos nos candidatando… Um currículo tem que vender a sua imagem como sendo a pessoa ideal para ocupar aquela vaga naquela empresa. Se o currículo cumprir essa missão, podemos garantir que ele será considerado para as próximas fases, ao invés de ir pro lixo… ou pra barriga do profissional de RH!

Transformando uma coleção em decoração

Eu amo ter uma casa bem decorada, mas admito que não sou a pessoa mais habilidosa para isso.  Tem gente que tem talento… simplesmente junta umas flores, uma garrafa colorida e fica tudo lindo e charmoso… Mas eu definitivamente não sou assim.

No entanto, de vez em quando, surge uma ideia que acaba funcionando muito bem!!!!  Na verdade, a última ideia muito legal veio do meu marido… mas, como eu montei junto com ele,  posso me apropriar e dividir com vocês. Rsrsrsrsrs

A gente coleciona porta-copos (daqueles de papelão) de restaurantes variados. A gente chega a um restaurante e, se tem um porta-copo diferente, na mesma hora, a vergonha vai embora e eu peço um novo para a minha coleção. (quem pede ao garçom sou sempre eu, então mais um motivo pra eu me apropriar da ideia!!!!)

Com o tempo, como a família inteira sabe da coleção, começamos a ganhar alguns porta-copos de presente. Minha sogra trouxe de um pub irlandês em Miami, minha irmã trouxe de um restaurante alemão e um de Viena, na Áustria… Com isso, a coleção foi crescendo, mas, sinceramente, começou a ficar meio sem graça manter meus porta-copos (lindos de morrer!) trancados em uma gaveta!

Foi daí que surgiu a ideia de comprar aqueles porta-retratos de parede que mais parecem quadros. Compramos alguns iguais, tiramos a moldura e medimos um pedaço de cartolina preta para ficar exatamente do mesmo tamanho do quadro. Antes de “colar” os porta-copos com fita dupla face, fui montando  (com eles soltos) para ver como ficaria mais bonito. Quando cheguei ao resultado mais legal, aí comecei a “colar”. Depois, foi só fechar o quadro e prendê-lo na parede!

mini-SAM_0581

Sabendo como faz, basta usar a criatividade! Você pode montar um com porta-copos variados! Ou seguindo a geografia. Ou pode ainda fazer de maneira temática. Eu, por exemplo, adoro o Outback e também o Hard Rock Café… como eles têm estilos parecidos (os dois têm sanduíches que eu adoro!), resolvemos fazer um quadro só com porta-copos variados dos dois restaurantes!

mini-SAM_0584

Pode se apropriar da ideia também (meu marido disse que pode!). O que não pode é deixar de mandar uma foto para a gente ver como ficou!!!!!

A minha Las Vegas

Sei que aqui no blog já tem um post sobre Las Vegas… mas como eu fui para lá há pouco mais de 1 mês,  quis escrever sobre o mesmo lugar, mas sob uma visão diferente.

Como fã de CSI (seriado sobre investigadores forenses  que começou em Las Vegas), posso dizer que sempre quis conhecer Las Vegas… ver a cidade em tantos filmes e seriados sempre me chamou a atenção.  Mas eu sou uma pessoa diurna… bem diurna, pra falar a verdade… gosto de dormir e acordar cedo e fiquei em dúvida se ia conseguir aproveitar a cidade, já que o seu forte são as luzes!!!!

Bem, cheguei a Las Vegas por volta das 5 da tarde… como é final de novembro, a essa hora já está anoitecendo, o que significa que, ao chegar ao hotel, já estavam todas as luzes da cidade acesas (depois descobri que algumas luzes simplesmente ficam acesas dia e noite…). Escolhemos o Bellagio (mais uma vez, por causa da influência dos filmes!) e decidimos por um quarto de frente para as fontes dançantes. Avaliação do hotel: lindo de morrer, o quarto era uma delícia, confortável , bem decorado e tinha a vista perfeita: ver a dança das fontes sentadinha na sua cama é sensacional! Mas… (tinha que ter um mas…) o Bellagio é o hotel mais visitado por turistas que estão em outros hotéis! Além de ver o balé das fontes, todo mundo quer ir comer no The Buffet (que, acredite, fica com filas de mais de 3 horas!), visitar a Cascata de Chocolate, ver as Fiori di Como (no teto da recepção) e passear pelo Conservatory e Botanical Gardens… além, é óbvio, jogar no cassino e assistir ao espetáculo O, do Cirque de Soleil. Ou seja, é MUITA gente! Gente por todos os lados, em todas as entradas e corredores. E essa é a vantagem de ser uma pessoa diurna: só consegui tirar fotos lindas do hotel porque saía pra passear já às 7 da manhã! No resto do dia, é praticamente  impossível aproveitar o hotel! Isso não vale para as fontes dançantes: mesmo podendo vê-las do quarto, vê-las de pertinho, sentindo a umidade e ouvindo as músicas lindas (o quarto é tão vedado que você não escuta nada!) é imperdível. Por isso, toda hora em que passávamos na frente do hotel durante alguma apresentação, a gente parava! E todas as vezes foram inesquecíveis!!!

Las Vegas vista do alto

Visitar Las Vegas tem algumas tarefas obrigatórias. Uma delas é tirar a foto na placa que dá as boas vindas à cidade! Tem que fazer!

Outra é visitar os hotéis! É isso que as pessoas fazem na maior parte do tempo: andar de um hotel para outro. Fomos a um monte deles e seus cassinos! Caesar’s Palace (lindo e luxuoso!), Mirage, The Venetian (lá, por sinal, fomos ao Museu de Cera Madame Tussaud, que é diversão garantida!), Flamingo (para ver os bichinhos que dão nome ao hotel de perto), Harras, New York, New York (e andar na montanha russa que imita os taxis de NY, que é muuuuuuito legal!), Excalibur (e seu estilo medieval!), Luxor (com uma arquitetura completamente diferente!), Mandalay Bay, Cosmopolitan (e seus lustres de cristal lindíssimos!), Aria, Paris (com um ambiente super gostoso!!!!),  Monte Carlo, MGM (e sua imensidão!),… E, de hotel para hotel, você pode ir andando ou pegando os trams (tipo uns monotrilhos) gratuitos entre algumas redes, que acabam sendo outra atração.

Outro programa obrigatório é comer nos buffets dos hotéis. Como eu disse, sou uma pessoa muito diurna, então acabei escolhendo os buffets de café da manhã. Fui a 3! Primeiro fomos ao Le Village Buffet, no Hotel Paris. O ambiente parece Paris mesmo: supercharmoso, com uma arquitetura linda, mas um pouquinho apertado.  Eu AMEI a comida. Tem uma pessoa preparando crepes na hora, tantos salgados como doces. Como eu amo crepe, só isso já me ganhou! Mas ainda tinha omelete feita na hora, frutas variadas, frios… ou seja, achei uma boa opção e não foi muito caro. Mesmo sendo um dos principais feriados americanos, o Thanksgiving, o preço era de USD 21 por pessoa.

O segundo a que fomos foi o MGM Grand Buffet, o favorito do meu marido! Para mim, tinha o melhor chocolate quente que já tomei na vida! E foi onde fomos mais bem atendidos também! Muita variedade de comidas: desde saladas a sorvetes, passando por omeletes, crepes, batatas, pães variados, frutas… Ufa, era enorme, mas era bem organizado e fácil de achar as coisas. E foi o mais barato deles: USD 19.90 por pessoa.

Deixamos o The Buffet do Bellagio para o último dia porque íamos direto para o aeroporto e, sinceramente, foi o que a gente menos gostou. Além de ser o mais caro (USD  35,00), foi o pior atendimento. Tem várias opções, até caranguejo gigante, mas não tem uma coisa básica num bom café da manhã: pães quentinhos…

Para pessoas mais do dia, como nós,  dois passeios são super bem vindos: o Grand Canyon e o Red Rock Canyon. O primeiro dispensa apresentações. Nós alugamos um carro  (não o tempo todo, mas por dois dias, o que foi suficiente para visitar o entorno, já que, na cidade, o que mais se faz é andar mesmo!) e aproveitamos para fazer essas duas visitas. O Grand Canyon (West Rim) é longe.  São quase 3 horas de carro, mas o passeio vale muito a pena. Paramos na Hoover Dam, que é uma represa enorme e tem uma vista linda! E depois seguimos para a reserva Hualapai. A vista é de tirar o fôlego! Aqueles paredões com aquele rio lá embaixo formam uma vista sensacional!Fomos também no  Skywalk. Podem falar o que quiserem, que é armadilha de turista… mas a verdade é que eu AMEI! A sensação de pisar naquele vidro e olhar o precipício lá embaixo, com aquela sensação total de vertigem vale muito a pena… definitivamente é uma vista única do Grand Canyon!

Já o Red Rock é bem perto do centro de Las Vegas – fica a uns 20 minutos de carro! E é o programa ideal para quem está cansado de tanto andar… é que você pode fazer o passeio todo de carro, só parando para tirar foto! É um caminho de 13 milhas (mais ou menos 20 km), com vistas incríveis e lugares lindos para fotografar! É um tipo de canyon completamente diferente do Grand Canyon, mas tão lindo quanto…

Las Vegas é um lugar único.  Você vê de tudo nas suas ruas! Tudo mesmo. Mas, sinceramente,  posso dizer sem medo: não importa se você é uma pessoa diurna ou noturna…Aposto que Las Vegas sempre vai valer a visita.

As fontes do Bellagio vistas do nosso quarto!

Você sabe preparar um currículo?

Com foto ou sem foto? Papel branco ou colorido? Quantas páginas? Coloco a idade? O estado civil? Essas são dúvidas que passam na cabeça de todo mundo na hora de preparar um currículo. A ideia aqui é te ajudar nesse propósito!

Em primeiro lugar, tenha em mente um objetivo. Não adianta colocar no currículo que você quer a área administrativa, comercial e de contabilidade. Se você tem interesse nas 3 áreas, faça um currículo para cada uma delas, valorizando mais as atividades desenvolvidas dentro daquele objetivo. Na prática, coloque naquele cujo objetivo é trabalhar com contabilidade todas as tarefas contábeis que você já executou.

Outra dica boa é prestar atenção no anúncio da vaga que você a que você quer concorrer. Se ele pede uma experiência que você tem, por exemplo, “negociação com fornecedores”, revise o seu currículo e coloque claramente aquela atividade entre as suas atribuições. Mas tem que ser verdade, porque se o recrutador está buscando aquilo, muito provavelmente ele vai te fazer perguntas sobre o assunto.

A posição dos itens do currículo também pode variar. A única parte que sempre vai ser a primeira são os seus dados pessoais: nome, endereço, telefone e e-mail. Em segundo, coloque seu objetivo e, em seguida um resumo de suas qualificações: algumas linhas sobre suas principais realizações e seus pontos mais fortes.   Nesse ponto, nada de personalidade. Isso quem vai julgar é o recrutador. Você pode simplesmente colocar algo como: “Profissional com inglês fluente e mais de 7 anos de experiência na área  de importação e exportação, sendo responsável por atividades como desembaraço aduaneiro, etc, etc.”

A partir daí, tudo depende de uma análise crítica sua. Abaixo do resumo de qualificações, deve vir o seu ponto mais forte. Se você fala idiomas e isso é importante para a vaga à qual você está se candidatando, coloque esse fato logo no início do currículo e depois escreva a sua experiência profissional e educação. Se a sua educação foi em uma das melhores universidades do país, coloque isso logo no início. Se, ao invés disso, você tiver estudado em uma universidade média e tiver um inglês básico, mas tiver uma experiência profissional forte, foque na experiência primeiro e coloque a educação e os idiomas depois.

O importante é que você personalize seu currículo para que ele combine com o cargo ao qual você está se candidatando, mas sempre falando a verdade! Não ceda à tentação de exagerar: é melhor não ter todas as qualificações do que passar por mentiroso! E faça com que esses itens estejam no seu currículo: identificação pessoal, objetivo adequado ao cargo a que você está se candidatando, resumo de qualificações, formação educacional, idiomas, experiência profissional (dividida por empresas, com a data de início e término e a lista de atividades relevantes à vaga)

Bem, antes que você diga que eu não falei dos detalhezinhos lá de cima: a foto dificilmente serve para atrair mais um recrutador do que um currículo sem foto, mas pode ser decisivo para eliminar um candidato. Por isso, se você preferir colocar foto, aposte na sobriedade e coloque uma com aspecto bem profissional. A cor do papel não faz tanta diferença assim! Normalmente, deixe o colorido para cargos que precisam de mais criatividade, como designers ou publicitários. Os outros podem usar o branco mesmo! Duas páginas é o tamanho ideal de um currículo! Menos do que duas parece que você não tem ainda muito pra contar (o que é totalmente normal para alguém que está começando a carreira, mas não para quem já está trabalhando há bastante tempo!) e mais do que 3 páginas acaba cansando o recrutador.  Então, não exagere! Se você prefere não colocar a idade, não coloque, mas lembre-se que, pelo seu histórico profissional, dá para estimá-la de qualquer forma.  O estado civil pode ficar de fora,  já que,  infelizmente, ainda tem recrutador que acha que quem é casado e tem filhos tem limitações.  Pronto! Agora, mãos à obra e faça o seu currículo ser um dos escolhidos para a próxima etapa… a entrevista!

Procurando um novo emprego

Algumas pessoas leram o primeiro post que coloquei aqui no Blog de Tudo e me disseram que estão passando justamente pelo momento de querer mudar de emprego, mas não sabem por onde começar! Então, resolvi tentar ajudar nessa reflexão.

Em primeiro lugar, é uma decisão difícil de se tomar, então nunca decida nada de cabeça quente. É importante tentar encontrar a verdadeira razão de você querer mudar de emprego. Lembre-se que toda empresa tem seus próprios problemas, então não adianta nada mudar para um lugar onde haja o mesmo tipo de situação. Por exemplo, tem gente que viaja muito e quer mudar de emprego para ter mais tempo para a família. Ir para uma multinacional em crescimento dificilmente vai ajudar a diminuir esse ritmo de viagens.

Nesse caso, é importante  também tentar avaliar o que você almeja para a sua carreira. Ter a consciência do que você quer e do que não quer para a sua vida profissional é fundamental para fazer uma boa escolha.  E, para ter uma visão clara, não deixe a insatisfação chegar a um estágio em que você praticamente aceitaria qualquer proposta para mudar de emprego.

Também é uma boa ideia procurar um novo emprego com calma, enquanto você ainda está empregado. Quando estamos com a pressão do desemprego, com contas para pagar, acabamos tendo a tendência de ir a todas as entrevistas e tentar todas as vagas, mesmo quando elas não têm a ver com o nosso planejamento profissional.

Por isso, se você pensou com calma e realmente decidiu que é hora de buscar algo novo, tente começar pelos passos abaixo:

Revise seu currículo. Mas revise de verdade. Seu currículo é de fácil leitura? Ele está alinhado com o que você quer para sua carreira? Você está “vendendo” bem as suas habilidades referentes à atividade em que você quer trabalhar? Checou a ortografia? Uma boa dica é pedir para aquele amigo bem sincero dar um palpite. Às vezes quem está de fora consegue perceber coisas que nós, que escrevemos, não conseguimos nem notar.

Atualize (ou crie, caso não tenha!) o seu perfil no Linked In. Hoje em dia, não existe vitrine melhor para suas habilidades profissionais. Coloque também um telefone ou e-mail para contato. Se você quer mudar de emprego, as pessoas que gostarem de seu histórico profissional precisam poder falar com você. Também é muito importante adicionar pessoas com quem você tenha trabalhado. Quanto mais pessoas você conhece no Linked In, mais chances de você estar indiretamente conectado com alguém que pode vir a te contratar. Dica número 1: Linked In é uma rede profissional, por isso evite atualizações automáticas do Facebook ou Twitter. Uma brincadeira entre amigos pode acabar pegando mal no Linked In. Dica número 2: cuidado com a foto no Linked In. Escolha uma foto só de rosto, com uma roupa profisisonal.  Caras e bocas, maquiagem pesada, músculos à mostra ou decote exagerado ajudam a criar estereótipos que podem acabar atrapalhando sua busca por um emprego legal.

Procure os sites das empresas com as quais você se identifica. Verifique as vagas que elas têm em sua área.  Algumas permitem que você se cadastre para receber informações de vagas futuras. Use essa ferramenta.

Busque sites especializados em divulgação de vagas. Além dos sites de consultorias, onde é possível ver vagas interessantes e se cadastrar, procure sites como o www.indeed.com.br  ou então o www.simplyhired.com.br . Você pode colocar o cargo que te interessa e a cidade onde quer trabalhar e ver quais são as opções para a sua área.  Dica importante: na hora de buscar a vaga, preste atenção às diversas nomenclaturas de um mesmo cargo. Um Coordenador Financeiro, um Analista Financeiro Senior e um Encarregado de Finanças podem ser o mesmo cargo e estarem listados de formas distintas nesses sites. Então esgote todas as possibilidades na hora de procurar, fazendo várias buscas com nomes diferentes.

E, se estiver empregado, não se candidate a todas as vagas disponíveis. Escolha aquelas que realmente fizerem seus olhos brilharem. E, ao participar de entrevistas, pergunte bastante sobre a empresa, sobre a vaga. Pense que esse já é um momento delicado… trocar de emprego não é fácil, então tente se cercar do máximo de cuidados para garantir que a nova escolha será realmente um passo à frente, ainda que não o seja imediatamente.